Câncer: Desvendando mitos



Na última quarta-feira (8 de abril) aconteceu o dia mundial de combate ao câncer, data criada com o intuito de conscientizar a população, em geral, sobre os índices da doença, os quais de acordo com o IBGE vem crescendo cada vez mais. O que de fato deveria crescer mais que os índices é a difusão e discussão sobre o assunto, porém não ocorre.

Veja abaixo alguns dos mitos mais comuns quando o tema em questão é o câncer:

Câncer? Nem quero falar disso!
Todo mundo deveria falar abertamente sobre a doença. Debater sobre o câncer é desafiar ideias, atitudes e comportamentos negativos que perpetuam mitos que causam medo e estigmatizam. Falar de câncer é alertar as pessoas da necessidade de busca por detecção precoce e tratamento.

Todos – governos, sociedades, empregadores e mídia – têm um papel importante a desempenhar na percepção sobre o câncer, e criar uma cultura em que pessoas são conscientizadas do acesso à prevenção e cuidado em câncer.

Não dá para saber se temos câncer ou não
O sucesso dos programas de detecção precoce pode ser medido pela redução dos malefícios da doença associada a uma redução no risco de morte.

A formação de uma habilidosa força de trabalho em câncer é fundamental para o sucesso dos programas de detecção precoce.

Não dá para evitar o câncer
A implementação de políticas e programas que incentivam a prevenção frequente e direcionem as pessoas a modos de vida mais saudáveis podem ajudar a prevenir o câncer.

Prevenção é a maneira mais barata e sustentável de reduzir o impacto global do câncer a longo prazo. A prevenção efetiva do câncer em nível nacional começa com um plano nacional de controle do câncer (PNCC), que deve incluir evidências baseadas em políticas apropriadas para o uso de recursos, programas que reduzem o nível de exposição aos fatores de riscos para o câncer e melhorias na capacidade das pessoas adotarem estilos de vida que incentivem uma vida saudável.

Eu não tenho direito a tratamento de câncer
Câncer não é só coisa de rico.  É claro que há implicações econômicas, sociais e humanitárias que representam barreiras significativas para alcançar o desenvolvimento inclusivo e equitativo. 
Por isso, o custo-benefício das intervenções deve ser planejado para garantir acesso à informação e à educação sobre câncer, assim como os programas de detecção precoce. É necessário ainda garantir acessibilidade a remédios, vacinas e tecnologias, entregues como parte do plano de controle de câncer.

Medidas de proteção social, incluindo a cobertura universal de saúde, são essenciais para assegurar que todos tenham total acesso aos serviços de saúde e oportunidades para prevenir e tratar o câncer.
Embora o câncer possa ser um tema difícil de se tratar, falar abertamente sobre a doença pode trazer melhores resultados individuais ou coletivos.
www.inca.gov.br
E quem aí se lembra do Zach Sobiech? Adolescente de 14 anos que fora diagnosticado com câncer nos ossos (Osteosarcoma) em 2009. Em maio de 2012 o câncer se espalhou e então os médicos  lhe deram no máximo mais um ano de vida. Então em dezembro do mesmo ano, Zach, que já compunha músicas há algum tempo, escreveu uma bela canção sobre sua luta contra a doença que virou viral no youtube. Aos que ainda não viram e aos que desejam relembrar:

Zach Sobiech, Clouds (Legendado em português)

Ajude a difundir o assunto, compartilhe!

Mr. Smooth

Colaborador do AAV. Tem uma grande paixão pelo blog mas vive não conseguindo deixar os posts em dia!

Comentário(s)