É de graça que eles ficam ricos! O que as empresas ganham com serviços gratuitos?


Você nunca parou para se perguntar o que leva uma empresa a disponibilizar um serviço online, um aplicativo para smartphone ou até mesmo guardar seus arquivos online de maneira totalmente gratuita? O que ela ganha com isso?

Para ser sincero os serviços, softwares, programas e aplicativos que realmente são 100% gratuitos vem diminuindo a medida dos anos, esses gratuitos geralmente nascem como projetos de programadores afim de testar ou aplicar novos conhecimentos, de pessoas que se junta em um objetivo em comum ou como um hobby. Como exemplo podemos citar o Linux, a suíte de escritório LibreOffice, editor de imagens GIMP, reprodutor multimídia VLC e o sistema de gerenciamento de banco de dados MySQL e vários emuladores de consoles. Como a intenção inicial não foi de arrecadar dinheiro, eles são mantidos por doações de voluntários ou de pessoas que gostaram do trabalho, já outro podem ser mantidos por faculdades ou por empresas.



Mas estamos aqui para falar dos “gratuitos”, sim, com aspas mesmo. No caso dos serviços de busca (Google, Yahoo, Bing e etc.) você paga com o seu perfil de busca.

Há? Mas como assim!

E só reparar quando você começa a pesquisar sobre smartphone no Google por exemplo, todos os sites que tem publicidade que forem de responsabilidade do Google exibirão anúncios sobre smartphone (inclusive no e-mail). Isso acontece também nas redes sociais, quando compartilhamos ou publicamos posts de um determinado assunto também ajudar a formar nosso perfil de busca, é e com base nesse perfil que os anuncio vão mais específicos e sempre serão mostrados a “potencias compradores”.



Alguns serviços optam por exibir “anúncios obrigatórios” para não cobrar pelo serviço como é o caso do Youtube, vários aplicativos para dispositivos moveis também optam por essa modalidade, mas como a quantidade de anúncios as vezes chega a incomodar várias desenvolvedoras de aplicativos aproveitam para oferecem uma versão do mesmo sem propaganda, claro, você tem que pagar por ela se quiser utiliza-la. 



Outra modalidade que vem crescendo são as micro transações, são mais comuns em dispositivos moveis, na qual você através da própria aplicação se faz compras que podem ser de facilidades até funcionalidades extras (o mercado de jogos adora usar isso), essa modalidade e muito criticada pelos jogadores por tornarem por varias vezes as disputas desleais e muito mais fáceis para quem utiliza dinheiro no jogo.


Vale ressaltar que muitos serviços, softwares, programas e aplicativos que são gratuitos (agora sem aspas) têm uma ou mais versões pagas. Geralmente isso acontece quando a versão gratuita possui algumas limitações (nem sempre) que são removidas quando compramos a versão paga, quando a versão gratuita tem licença para uso pessoal e para se utilizar esse serviço ou aplicação em uma empresa por exemplo tem que se comprar uma licença de uso empresarial. Uma outra ocasião e quando a versão gratuita é a versão mais básica, para mais funcionalidades se deve comprar um versão que mais lhe atende, veja o exemplo do Avast Antivirus abaixo:


Sobre o caso das publicidades, elas podem ser bloqueadas com instalando algum bloqueador de publicidade como o AdBlock, e uma mão na roda para quem acessa conteúdo que e carregado em excesso de propaganda. Mas lembre-se que ao bloquear as propagandas você está tirando o retorno de está lhe oferendo o conteúdo, ainda mais para peixes pequenos como e o caso do Aprenda a Valorizar. 


Se você usa o AdBlock ou outro similar peço que adicione o site a lista de exceções, até por que só tem 2 publicidades no blog e mesmo assim na parte superior, nada que atrapalhe sua leitura ou sua navegação.  

Espero que tenha sido útil!

Unknown

Colaborador do AAV. Tem uma grande paixão pelo blog mas vive não conseguindo deixar os posts em dia!

Comentário(s)